domingo, 4 de março de 2018

Laticínio francês, dono da Batavo e Elegê, está envolvido em escândalo de leite infectado por bactéria

A gigante francesa Lactalis encontrou vestígios de Salmonella em leite em pó vendido em 83 países

Geo.tv/ReproduçãoA gigante francesa do ramo de laticínios, Lactalis, dona das marcas Batavo, Elegê e Balkis, no Brasil, e que recentemente adquiriu a Itambé, está enfrentando uma grave crise na Europa. Isso porque alguns lotes de seu leite em pó infantil estão contaminados com a bactéria Salmonella, que já infectou 35 bebês menores de 6 meses na França. O problema teria se originado na fábrica da Lactalis em Craon, no oeste da França.

A empresa decidiu realizar um recall de 12 milhões de caixas de produtos afetados em 83 países – não inclui o Brasil. "Há 83 países afetados, que estão sob o mesmo procedimento de recall de produtos. Criamos um gabinete de crise tanto para o exterior como para a França", comenta o diretor-executivo Emmanuel Besnier, em uma entrevista concedida ao jornal francês Le Journal du Dimanche, no domingom, dia 14 de janeiro. Esta é a primeira vez que ele conversa com um veículo de comunicação desde que assumiu o comando da emrpesa no ano 2000.

Apesar da gravidade do problema, o responsável pelo conglomerado familiar Lactalis não quis informar quais são os 83 países onde os produtos estão contaminados com Salmonella.

Para quem não sabe, o leite em pó destinado a bebês, da Lactalis, é um dos mais consumidos no mundo, concorrendo diretamente com a gigante suíça Nestlé. Há indícios que outros dois bebês também tenham sido vítimas do problema: um que foi atendido num hospital no norte da Espanha, cuja causa provável da sua gastroenterite foi o produto da empresa francesa; e outro na Grécia, que ainda aguarda confirmação.

"De acordo com o Ministério de Saúde francês, 35 bebês adoeceram [por salmonela]. Não há casos novos desde 8 de dezembro [de 2017]. E o caso que foi anunciado na Espanha, na sexta-feira passada [12 de janeiro] remonta ao mês de outubro [de 2017]", afirma Besnier. O executivo disse ao Le Journal du Dimanche que a emrpesa vai indenizar todas as famílias afetadas.

A fábrica de origem dos produtos infectados pela bactéria está fechada, atualmente.

O escândalo do leite contaminado fez com que o governo francês intervisse tanto na Lactalis quanto nas empresas responsáveis pela distribuição dos produtos. O problema é que elas mantiveram o trabalho mesmo após a proibição de comércio dos lotes afetados.

"Existem denúncias contra nós, será instaurada uma investigação e vamos colaborar com tudo o que a justiça pedir, ainda que nunca chegaremos ao risco zero, nesta questão, como acontece em outros casos", diz Emmanuel Besnier.

Para quem não sabe, a Lactalis foi fundada em 1933 e passou a ser uma das maiores empresas de laticínios do mundo ao adquirir a italiana Parmalat, em 2011. Hoje, ela possui 246 fábricas em 47 países, incluindo Brasil, Espanha, México, Argentina, Colômbia, Venezuela e Chile.

(com Agência Brasil e Agência EFE) fonte;.revistaencontro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ONU ORIENTA JUSTIÇA BRASILEIRA A RESPEITAR DIREITOS POLÍTICOS DE LULA

Comitê Internacional de Direitos Humanos determinou hoje que Lula deve ter livre acesso à mídia e não pode ter sua candidatura barrada ante...