domingo, 4 de março de 2018

Laticínio francês, dono da Batavo e Elegê, está envolvido em escândalo de leite infectado por bactéria

A gigante francesa Lactalis encontrou vestígios de Salmonella em leite em pó vendido em 83 países

Geo.tv/ReproduçãoA gigante francesa do ramo de laticínios, Lactalis, dona das marcas Batavo, Elegê e Balkis, no Brasil, e que recentemente adquiriu a Itambé, está enfrentando uma grave crise na Europa. Isso porque alguns lotes de seu leite em pó infantil estão contaminados com a bactéria Salmonella, que já infectou 35 bebês menores de 6 meses na França. O problema teria se originado na fábrica da Lactalis em Craon, no oeste da França.

A empresa decidiu realizar um recall de 12 milhões de caixas de produtos afetados em 83 países – não inclui o Brasil. "Há 83 países afetados, que estão sob o mesmo procedimento de recall de produtos. Criamos um gabinete de crise tanto para o exterior como para a França", comenta o diretor-executivo Emmanuel Besnier, em uma entrevista concedida ao jornal francês Le Journal du Dimanche, no domingom, dia 14 de janeiro. Esta é a primeira vez que ele conversa com um veículo de comunicação desde que assumiu o comando da emrpesa no ano 2000.

Apesar da gravidade do problema, o responsável pelo conglomerado familiar Lactalis não quis informar quais são os 83 países onde os produtos estão contaminados com Salmonella.

Para quem não sabe, o leite em pó destinado a bebês, da Lactalis, é um dos mais consumidos no mundo, concorrendo diretamente com a gigante suíça Nestlé. Há indícios que outros dois bebês também tenham sido vítimas do problema: um que foi atendido num hospital no norte da Espanha, cuja causa provável da sua gastroenterite foi o produto da empresa francesa; e outro na Grécia, que ainda aguarda confirmação.

"De acordo com o Ministério de Saúde francês, 35 bebês adoeceram [por salmonela]. Não há casos novos desde 8 de dezembro [de 2017]. E o caso que foi anunciado na Espanha, na sexta-feira passada [12 de janeiro] remonta ao mês de outubro [de 2017]", afirma Besnier. O executivo disse ao Le Journal du Dimanche que a emrpesa vai indenizar todas as famílias afetadas.

A fábrica de origem dos produtos infectados pela bactéria está fechada, atualmente.

O escândalo do leite contaminado fez com que o governo francês intervisse tanto na Lactalis quanto nas empresas responsáveis pela distribuição dos produtos. O problema é que elas mantiveram o trabalho mesmo após a proibição de comércio dos lotes afetados.

"Existem denúncias contra nós, será instaurada uma investigação e vamos colaborar com tudo o que a justiça pedir, ainda que nunca chegaremos ao risco zero, nesta questão, como acontece em outros casos", diz Emmanuel Besnier.

Para quem não sabe, a Lactalis foi fundada em 1933 e passou a ser uma das maiores empresas de laticínios do mundo ao adquirir a italiana Parmalat, em 2011. Hoje, ela possui 246 fábricas em 47 países, incluindo Brasil, Espanha, México, Argentina, Colômbia, Venezuela e Chile.

(com Agência Brasil e Agência EFE) fonte;.revistaencontro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Terreno de gringo é invadido em Uruburetama por moradores da cidade.

Dezenas de moradores de Uruburetama resolverão invadir um terreno que fica situado ao lado da CE 243, um dos terrenos mais valiosos de Uru...